A Rússia considera bitcoin e outras moedas criptográficas para pagamentos internacionais

Última Actualização: 20 Junho 2022

O chefe do banco central da Rússia diz que o uso de bitcoin e outras moedas criptográficas está a ser considerado para pagamentos internacionais.

Elvira Nabiullina, chefe do Banco Central da Federação Russa, participou recentemente no Fórum Económico de São Petersburgo (SPIEF). Aqui ela discutiu como a Rússia pode usar o bitcoin e outras moedas criptográficas para o comércio internacional, informou Kommersant.

Bitcoin para transacções internacionais

“A nossa posição é que a moeda criptográfica não deve ser usada como unidade de conta na própria Rússia… Quanto ao uso em transacções internacionais, se não penetrar no sistema financeiro russo, é possível”, disse Nabiullina ao evento.

Por unidade de conta, ela quer dizer que podes não fixar o preço dos produtos nas lojas, digamos, em sats, mas sim no rublo russo.

Alternativo para SWIFT

Vários bancos russos estão desligados do SWIFT, o sistema de pagamento internacional dominante. A Rússia pode construir uma alternativa a isto, ou utilizar outra rede de pagamentos. Uma dessas redes de pagamento é a Bitcoin, e tem a vantagem adicional (ou desvantagem, dependendo de quem tu pedires) de ser completamente à prova de censura.

Bitcoin significa liberdade

À prova de censura significa que qualquer pessoa pode fazer transacções inalteráveis e fiáveis sem o consentimento de um terceiro. Políticos, empresas ou bancos podem fazer o que quiserem, mas não te podem impedir de enviar bitcoin para o teu amigo na Rússia ou para o teu primo no Irão. Nem podem, por exemplo, impedir as pessoas comuns na Venezuela, onde a inflação está em alta, de ter bitcoin e usá-lo para compras.

Esta resistência à censura significa liberdade, mas infelizmente (mas também de alguma forma lógica) políticos e bancos vêem esta liberdade como uma ameaça aos seus propósitos. Por exemplo, na Holanda, quando compras bitcoin tens de mostrar que o estás a enviar para uma carteira própria. Isto é, claro, um monte de disparates, pois podes depois enviar estas BTC para qualquer pessoa no mundo.

Independentemente destas restrições, a bitcoin não tem fronteiras e ainda pode facilitar as transacções que contornam as restrições centralizadas. A ideia de que nenhum país, empresa ou terceiro tem o poder de determinar quem pode conduzir transacções ou armazenar riqueza através do bitcoin é uma das principais propostas de valor da moeda criptográfica.

Nem mesmo os costumes podem parar a bitcoin

Praticamente qualquer moeda criptográfica pode ser usada para pagamentos internacionais, mas o bitcoin é o maior exemplo do mundo de uma rede à prova de censura. Ninguém pode desligar a bitcoin porque esta funciona em milhares de computadores em todo o mundo. Ninguém te pode impedir de enviar Bitcoin para outro endereço, assumindo que tens uma ligação à Internet e que sabes como criar a tua própria carteira. E nem a alfândega te pode impedir de levar 1 bilião de euros de bitcoin para outro país. Tudo o que precisas é de um pedaço de papel com 12 ou 24 palavras.

Putin contradiz o banco central

De volta ao SPIEF, antes de Nabiullina fazer estes comentários, o vice-presidente do banco central, Ksenia Yudaeva, também disse que a Rússia não tem objecções aos pagamentos de bitcoin “em transacções internacionais e infra-estruturas financeiras internacionais”.

Que diferença em relação ao início deste ano. Antes da guerra, o banco central propôs a proibição da mineração e do comércio de moedas criptográficas. Após este anúncio, o Presidente russo Vladimir Putin desafiou abertamente a opinião do banco central de que o país tinha uma “vantagem competitiva” na mineração e pediu-lhes que reconsiderassem.

Em resposta ao pedido de reconsideração de Putin, foi apresentado pelo governo russo um projecto de lei para regulamentar o bitcoin e o ecossistema mais vasto de moedas criptográficas. No mesmo mês, o Ministério das Finanças divulgou a sua versão alterada do projecto de lei para regular adequadamente o ecossistema.

Author

  • Steven Gray is a journalist with a heart for crypto. He filters the wide range of news and ensures that it reaches the public in a comprehensible way. He often does this with the support of technical analysis.

error: Alert: Content is protected !!