Jurrien Timmer da Fidelity: ‘Isto não é o que parece uma recessão’

Última Actualização: 31 Julho 2022

Vemos cada vez mais que estamos a caminhar para uma recessão. A economia dos EUA confirmou ontem com um crescimento negativo do PIB de 0,9% que está, pelo menos tecnicamente, em recessão. Muitos economistas consideram dois trimestres consecutivos de crescimento negativo do PIB como uma recessão e a leitura de ontem foi a número dois.

Fidelity‘s Jurrien Timmer, no entanto, diz que vê poucos sinais de uma recessão real neste momento. “Há sinais de crescimento económico por todo o lado”, disse Timmer.

A realidade económica é importante

Embora possa parecer que uma recessão está no ar, Timmer diz que isso nem sempre é um reflexo da realidade económica. Claro que não é verdade que dois quartos do crescimento negativo do PIB significa necessariamente que estamos a caminhar para um período miserável. Afinal de contas, uma “recessão” é apenas um conceito a que os economistas associam algumas condições.

Em qualquer caso, Timmer acredita que é melhor olhar para o quadro completo. O que ele vê aí é o seguinte: baixo desemprego, consumidores que gastam muito dinheiro e lucros que continuam a crescer. Todos os sinais de desenvolvimento económico positivo.

De acordo com Timmer, os números trimestrais das grandes empresas são um indicador muito melhor da saúde económica do que a última leitura do PIB dos EUA. “Se algo quebra na economia, vamos ver isso refletido nos números trimestrais das grandes empresas que estão agora lentamente a sair”, disse Timmer.

Isto manifestar-se-ia então em comentários tais como “podemos ter de reduzir a nossa mão-de-obra” ou “não vamos contratar tantas pessoas novas como antes”.

Números trimestrais não apontam para uma recessão

Até agora, Timmer observa que 70% das empresas excederam as expetativas no último trimestre. Em média, os números das empresas são cerca de 4% melhores do que o esperado, o que é bastante bom. Nesta base, uma recessão parece ainda distante.

“É verdade que o crescimento dos lucros está a abrandar, mas estes continuam a crescer a cerca de 10% ao ano. O que significa que pelo menos não estão a cair de um penhasco”, disse Timmer, indicando que as coisas podem estar um pouco em baixo, mas certamente não suficientemente más para falar de uma recessão.

Mesmo o facto de já termos tido dois trimestres consecutivos de crescimento negativo do PIB não significa, segundo Timmer, que estejamos necessariamente numa recessão. “Na maioria dos casos de dois trimestres consecutivos de crescimento negativo do PIB, estamos em recessão, mas não em todos os casos”, disse Timmer.

Em qualquer caso, uma recessão técnica como esta é muito diferente de uma recessão real em que os indivíduos perdem os seus empregos e deixam de gastar dinheiro, de acordo com Timmer. O mercado de trabalho quase nunca foi mais apertado do que é hoje.

error: Alert: Content is protected !!