Os bancos tradicionais usam 56 vezes mais energia do que o bitcoin

Última Actualização: 18 Junho 2022

Um novo estudo sobre o consumo de energia, eficiência e escalabilidade do bitcoin coloca a banca numa má perspectiva. O estudo revela que os bancos tradicionais utilizam 56 vezes mais energia do que o bitcoin. O estudo de Michel Khazakka escreve que os pagamentos de bitcoin são “um milhão de vezes mais eficientes” do que os pagamentos bancários tradicionais.

Quatro anos de pesquisa

O trabalho de Khazzaka, um engenheiro de TI e criptógrafo, baseia-se em quatro anos de pesquisa e propõe, entre outras coisas, uma nova forma de avaliar o consumo de energia do bitcoin. Numa entrevista ao Cointelegraph, Khazakka disse o seguinte: “A Bitcoin Lightning Network e a bitcoin em geral são grandes e muito eficientes soluções que merecem ser adoptadas a uma escala global. A invenção é brilhante o suficiente, eficiente o suficiente e poderosa o suficiente para conseguir a adopção em massa”.

Khazzaka, que fundou a consultora Valuechain em 2021, surge com uma alternativa à forma como o Índice de Consumo de Electricidade Bitcoin de Cambridge avalia o consumo de energia do bitcoin. Tendo em conta a vida útil do equipamento mineiro, assim como o ritmo a que novos materiais informáticos entram em circulação, Khazzaka chega a um consumo de energia de 88.95 TWh por ano. Isto é muito menos do que o consumo de energia que Cambridge atribui ao bitcoin.

A comparação bancária

Khazzaka é um especialista em pagamentos que escreveu a sua dissertação em cryptography in 2003 e descobriu o bitcoin em 2011. Para a banca tradicional, ele chega a um consumo total de energia de 4,981 TWh. Ele baseia isto na criação de dinheiro, no transporte de dinheiro e na infra-estrutura física dos bancos, entre outras coisas. Na altura de escrever, o sistema Bitcoin é 5,7 vezes mais eficiente do que a banca, de acordo com Khazzaka.

Adicionando a Lightning Network, o protocolo pode teoricamente processar mais transacções sem consumir energia adicional “e isso é magia” é como Khazzaka fala sobre o Bitcoin. O estudo conclui que a combinação do bitcoin e da Lightning Network é 194 milhões de vezes mais eficiente do que o sistema de pagamento clássico.

Segundo Khazakka, a principal conclusão da sua pesquisa é que a indústria bancária deveria adoptar a cadeia de bloqueio e talvez até o bitcoin. Embora a conclusão de Khazzakka possa ser surpreendente para os cypherpunks e anarco-capitalistas que nada têm a ver com banca, o autor está convencido de que a tecnologia pode melhorar a banca.

Bancar utiliza 2.88 por cento de toda a energia

Se os números no estudo de Khazzaka estiverem correctos, isto significa que a banca é responsável por 2.88 por cento do consumo global de energia. Em comparação, os 0.05 por cento de bitcoin não é nada. No entanto, deve ser acrescentado que o volume total de bitcoin é anão pela banca tradicional. O estudo é uma nova e interessante forma de olhar para o assunto.

O Bitcoin tem sido criticado de uma perspectiva tradicional pelo seu consumo de energia. No entanto, parece agora que os nossos sistemas actuais estão a fazer muito pior. Um sistema de pagamento global construído em bitcoin poderia ser uma grande solução para isto. O mundo funcionaria com uma forma justa de dinheiro e nós também usaríamos menos energia para o fazer. No entanto, para o conseguir, a Rede Relâmpago ainda tem algum caminho a percorrer em termos de facilidade de utilização.

Author

  • Florian Feidenfelder is a technical analyst with many years trading experience in the stock exchange and crypto markets. He has broad experience in forex trading, coaching, and funds management.

error: Alert: Content is protected !!